24 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
1/04/24 às 11h38 - Atualizado em 1/04/24 às 11h38

Projeto Comunicador do Futuro chega à Estrutural com oficinas gratuitas

COMPARTILHAR

 

Iniciativa com apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) do GDF oferece cursos profissionalizantes em áreas como redes sociais, audiovisual e fotografia

Por Ana Flávia Castro, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

O Projeto Comunicador do Futuro recebeu, nesta segunda-feira (25), os primeiros alunos da Cidade Estrutural inscritos nas oficinas de capacitação gratuitas do programa. Ao todo, 155 jovens e adultos participam das turmas, distribuídas nas áreas de audiovisual, gerenciamento de redes sociais, fotografia e operador de áudio.

 

O Comunicador do Futuro recebeu nesta segunda-feira os primeiros alunos das oficinas de capacitação gratuitas na Cidade Estrutural, a terceira região administrativa a contar com a passagem da carreta itinerante do projeto | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

A iniciativa conta com apoio do Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec). As oficinas são ministradas em uma carreta itinerante, estacionada próximo à Administração Regional da Estrutural. As aulas ocorrem até 22 de abril.

 

“Ao oferecer cursos gratuitos em áreas como fotografia, audiovisual, redes sociais e operador de áudio, estamos não apenas capacitando os moradores locais, mas também abrindo portas para o desenvolvimento profissional e a inserção no mercado de trabalho. Este projeto não apenas responde a uma demanda do mercado, mas também reflete nosso compromisso em impulsionar políticas públicas que promovam a igualdade de oportunidades”

 

Claudio Abrantes, secretário de Cultura

 

O secretário de Cultura, Claudio Abrantes, defende que a chegada do projeto à Estrutural marca “mais um passo significativo na missão do GDF de democratizar o acesso à formação e oportunidades no campo cultural.”

“Ao oferecer cursos gratuitos em áreas como fotografia, audiovisual, redes sociais e operador de áudio, estamos não apenas capacitando os moradores locais, mas também abrindo portas para o desenvolvimento profissional e a inserção no mercado de trabalho. Este projeto não apenas responde a uma demanda do mercado, mas também reflete nosso compromisso em impulsionar políticas públicas que promovam a igualdade de oportunidades”, destaca.

São oito turmas – quatro pela manhã, e quatro à tarde –, com cursos técnicos profissionalizantes. O Comunicador do Futuro busca capacitar moradores das regiões em áreas de fácil acesso ao mercado, bem como fomentar a capacitação no setor cultural.

Esta é a terceira região administrativa a receber o projeto. Desde janeiro, a carreta itinerante passou por Ceilândia e Riacho Fundo II, onde cerca de 250 estudantes participaram das aulas nas primeiras turmas. A próxima localização será São Sebastião, de 29 de abril a 24 de maio. As inscrições estão abertas neste site comunicadordofuturo.com.br.

A empreendedora Deborah Gomides afirma que capacitação tem feito a diferença para alavancar o seu e-commerce. “Mudou demais a minha vida profissional. Eu tive até um vídeo que bateu recorde de visualizações no Instagram, usando as técnicas que eu aprendi no curso. E agora, vou usar o que eu aprender de fotografia”

Impulso para empreender

Deborah Gomides, de 29 anos, tem um e-commerce de joias e está fazendo o segundo curso do projeto. Ela esteve no Riacho Fundo II, onde participou das aulas de gerenciamento de redes, e agora frequenta a oficina de fotografia, na Estrutural.

“Eu tenho a loja há algum tempo, mas não tirava muitas fotos, porque não sabia. Tinha receio de fazer algo sem muita qualidade. Agora, depois do curso, já estou postando fotos, que era o que eu estava precisando”, relata.

Segundo a empreendedora, a capacitação tem feito a diferença para alavancar o e-commerce. “Mudou demais a minha vida profissional. Eu tive até um vídeo que bateu recorde de visualizações no Instagram, usando as técnicas que eu aprendi no curso. E agora, vou usar o que eu aprender de fotografia”, afirma.

Paulo Lafaiete de Lima elogiou a dedicação dos professores com as ferramentas de acessibilidade. Ele tem deficiência visual desde a infância e conta que o professor utilizou o tato para explicar os aparelhos usados por operadores de som

Professor da turma de gerenciamento de redes, Valter Serafim conta que muitos participantes se inscrevem em busca de colocação no mercado, ou para melhorar a entrega nas funções em que já atuam. “Recebi relatos de muitos alunos de outras cidades que conseguiram vagas de trabalho, ou que querem virar influenciadores. Cada um tem um objetivo”, explica.

Inclusão no mercado

Paulo Lafaiete de Lima, 39, morador da Chácara Santa Luzia, elogiou a dedicação dos professores com as ferramentas de acessibilidade. Ele tem deficiência visual desde a infância e conta que o professor utilizou o tato para explicar os aparelhos usados por operadores de som.

“O primeiro dia foi muito bom, o professor teve uma didática muito legal, bem acessível mesmo. Eu recomendo o curso com certeza, é uma porta que se abre. Acredito que outras pessoas que têm interesse na área de produção audiovisual devem investir”.

O Comunicador do Futuro é um projeto idealizado pela Associação de Radiodifusão Comunitária no Distrito Federal (Abraço), em parceria com o Instituto Vida Solidária (IVS), e conta com fomento do GDF.

A presidente do IVS, Dilma Imai, explica que essa parceria entre as organizações e o GDF é fundamental para viabilizar ações que se apliquem à realidade das regiões administrativas. “O objetivo é levar ao aluno o aprendizado, para que eles se sintam preparados para enfrentar os desafios de empreender. Além disso, busca desenvolver as potencialidades existentes na comunidade”, destaca.

As inscrições para as últimas turmas, em São Sebastião, estão abertas. Podem participar jovens a partir de 16 anos. As oficinas têm duração de 2 horas, durante 20 dias. Ao final, o estudante que tiver 75% de presença nas atividades ministradas recebe um certificado.

Mapa do site Dúvidas frequentes