24 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
26/08/23 às 2h52 - Atualizado em 26/08/23 às 2h54

SLU realiza operação de limpeza nas margens do Parque Nacional

COMPARTILHAR

Pela terceira vez somente nos últimos quinze dias, mais uma operação de limpeza é realizada na DF-095, área que divide o Santa Luzia e o Parque Nacional de Brasília, no intuito de recolher entulhos e inservíveis descartados de forma irregular.

O responsável pela operação da vez foi o SLU, que começou a limpeza logo nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira, dia 25 de agosto, contando com duas pás carregadeiras e oito caminhões caçamba, aonde foram recolhidas mais de 500 toneladas de entulho e inservíveis.

Todo o material recolhido foi encaminhado para a Unidade de Recolhimento de Entulho do SLU, onde passará por tratamento e posteriormente poderá ser reutilizado em aterros, cascalhamento de vias rurais, entre outros.

De acordo com o diretor do SLU, Álvaro Henrique Ferreira, três vezes por semana equipes do órgão estão na região executando operações de recolhimento de entulho e inservíveis. Essas operações são executadas tanto por equipes mecanizadas, quanto por equipes de varrição de ruas. “As ações de remoção mecanizadas acontecem três vezes por semana na região administrativa da Estrutural, que abrange a área do Santa Luzia.”

Por sua vez o coordenador de Coleta de Limpeza Urbana do SLU, Marcos Vinícius de Rezende, disse da importância da população no processo de conservação da área que foi limpa. Ele ainda pediu para que o local seja conservado. “É fundamental que a população contribua evitando que se realize o descarte irregular naquela área, que além de ser crime ele contribui para a proliferação de vetores, traz prejuízos à saúde pública e inúmeras consequências para a população do local. Então a gente precisa da colaboração da população local e também dos transeuntes que passam por ali, para que não se faça o descarte irregular e se você ver alguém fazendo denuncie.”

Por sua vez o administrador da cidade, Alceu Prestes de Mattos, falou da dificuldade do governo em manter o local limpo. “Mais uma vez o SLU e a Administração estão fazendo a limpeza da área lindora ao Parque Nacional, pois as empresas que carregam entulho despejam de forma inadequada neste local e depois a Administração e o SLU têm que vir e limpar o local.”

A administração pede aos moradores do setor que auxiliem o órgão a preservar o local mantendo a área sempre limpa, pois somente assim poderá evitar proliferação de doenças provenientes de insetos e animais peçonhentos, entre os quais baratas, ratos, aranhas e escorpiões, que são os mais comuns encontrados no local.

Além disso, o descarte desenfreado de entulho na região poder ocasionar um desequilíbrio ambiental, pois animais selvagens tendem a deixar a área do parque em busca de refúgio e alimentos. Muitas vezes esses são encontrados no interior das residências. Entre os animais já encontrados na área residencial estão as cobras peçonhentas bastante comuns na região.

Ainda há o fato de que, esses locais se tornam criadouros naturais do mosquito aedys aegipty, transmissor da dengue, o que pode levar a pessoa picada a óbito, nos casos mais graves.

Por fim, o administrador da cidade completou dizendo que a solução é a punição àqueles que descartam irregularmente entulho e inservíveis na área. “Acho que só multando e multas pesadas, se puder até apreender o caminhão talvez a gente tenha condições de resolver esse problema aqui que é grave. É um crime ambiental sério”, finalizou. 

Assista:

 

Mapa do site Dúvidas frequentes